segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Menos é mais

Mas nem sempre. 

No meu caso, menos é mais porque o mais não tá dando mais, sabe? 

Minha psicóloga (de novo ela, disgurpe o desgraçamento) me perguntou porque eu sentia uma necessidade ferrenha em ter tudo sobre controle o tempo todo. Eu não soube responder. Ela me perguntou porque eu precisava fazer tudo o tempo inteiro. Eu não soube responder. 

Contei pra ela que tinha cadastro em 57 redes sociais e sites, desde pra postar fotos até pra cadastrar os livros que li, não li mas quero ler, desisti de ler, tenho e quero ler, não tenho mas quero ter e por aí vai. Aí contei que não dava conta de tudo, o tempo era pouco demais e eu preciso de muito. Ela perguntou se não seria melhor eu fazer menos e aproveitar mais. É óbvio que sim, todo mundo sabe disso, menos o meu cérebro irracional. Só que aí eu resolvi tentar. 

Migrei meu e-mail e fiz uma limpa em todos aqueles sites onde eu tinha assinatura e não conseguia acompanhar. Aceitei que nunca vou ler as mais de cem newsletters acumuladas na minha caixa de entrada e aceitei também que eu nem gosto de newsletter. Me conformei que não vai dar pra me atualizar nas leituras dos mais de quarenta ou cinquenta blogs que eu sigo (perdão, amigos, sigo amando vocês), muito menos conseguir mimar com paixão todas as pessoas que eu gosto de mimar com paixão. Sigo tentando aceitar que não tem problema não conseguir acompanhar todas as séries, novidades cinematográficas e novas leituras desse mundão. Isso tem sido problemático, porque é onde mais me culpo. Me culpo por não dar conta dos meus hobbies. Não faz nem sentido.

Aí, ao mesmo tempo, muita gente consegue dar conta e bate a sensação de "todo mundo, menos eu", aquela diaba da FOMO. Nessas horas preciso me obrigar a, mais uma vez, seguir tentando. Porque tá tudo bem. Tá tudo bem serumana e às vezes não dar conta. 

Menos é mais, e eu custei a perceber que não é a blogosfera que respira com a ajuda de aparelhos: muitos dos meus blogs favoritos ainda estão bem vivos e seguem maravilhosos. É o meu blog que respira com a ajuda de aparelhos porque eu venho respirando com a ajuda de aparelhos (não literalmente, graças a deusa). 

Escrevo esse texto pra dizer, oficialmente, que menos é mais e o blog não é, atualmente, uma prioridade pra mim. Eu amo a blogosfera, eu não vou deletar o Oh So Fangirl e muito menos sumir de vez e 4evah. Mas eu já pouco apareço, então é melhor oficialmente dizer que: por enquanto, menos é mais, e eu não posso mais me culpar por não aparecer por aqui. 

Seguirei no twitter falando merda que ninguém quer saber e também no Valkirias, falando coisa que alguns querem saber. Isso não é um adeus. E nem um até logo, porque daí é clichê demais pra mim. 




Voltaremos. 

© OH SO FANGIRL
Maira Gall