quarta-feira, 22 de junho de 2016

E a vida?

Decidi fazer uma limpa no bloglovin porque cada logada é um sentimento de culpa diferente. Não consigo dar conta nem da vida, quem dirá de acompanhar 57 (não sei, por aí?) blogs diferentes. Como eu fazia isso uma vez cai longe do meu entendimento. Espero voltar a fazer num futuro próximo. Gosto muito de mimar meus blogs favoritos. De qualquer forma, decidi limpar o bloglovin e deixar só o suprassumo dos blogs que eu sigo, meus favoritos, as pessoas que eu curto e aquela parafernália toda. 

Sigo pensando se a ~blogosfera~ está viva, mas acho que nem tanto. Respirando com ajuda de aparelhos, talvez? Não sei. Eu não ando muito viva na blogosfera, não ando nem muito viva na vida online. 

Tô terminando meu 8º semestre no curso do Direito. Faço 6 matérias. Tenho, ainda, 5 provas pela frente e um trabalho. Além disso, tem o trabalho, que eu amodoro, mas é uma tarefa que drena ter que lidar com pessoas doentes, irritadas, que precisam de dinheiro: tudo é sempre muito difícil e o ouvido, coitado, vira penico constantemente. Além disso, eu tenho que dar uns chêro no meu boy porque também sou filha de Deus né, mereço uma mísera pausa por semana pra ver série, jogar Uncharted e comer porcaria junto com o love. Também tem minha lista tímida de 31 séries pra maratonar e acompanhar e do lado, tem a pilha de livros que eu quero ler. A cereja do bolo (se eu gostasse de cereja), é a minha filha: eu amo ela de paixão, então passo bastante tempo dando carinho e amor pra moça, mas isso também me deixa ainda mais sem tempo.

Não acho que o dia deveria ter mais de 24h. Mas eu bem que aproveitaria um dia livre extra por semana. Uma semana de 8 dias seria A+. 

No próximo semestre o buraco vai ser mais embaixo. Começo o TCC, os atendimentos ao público na universidade, e estudar pra prova da OAB. Como vou ter tempo pra algo? São questões.

Queria tanto BEDAr esse ano, porém tenho a forte impressão que não vai rolar. Ainda mais considerando que até com exames chatos e consultas médicas eu tô tendo que lidar. 

A vida tá seguindo sim, senhoritas. Mas migas e migos, tá bem loca. 

E vocês? 

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Hello from the dark side

Mudei a cara do blog pra ver se sinto mais vontade de blogar. Quer dizer, blogar nem é a palavra porque... meh? A palavra certa é escrever. Porque eu abandonei aqui, lá e um pouco mais além pela simples inabilidade que eu sinto em escrever. Era simples, às vezes um pouco mais difícil, mas no geral eu escrevia, agora eu não escrevo, e somo a isso um tantão de coisas acontecendo e não acontecendo (ao mesmo tempo) e aí fico assim. Olho pra barrinha do arquivo com míseros 13 postzinhos e fico até triste. Mas é aquilo que dizem: não se pode ter tudo.

O que eu tenho tido?  ̶̶̶̶  eu me pergunto. 

Meu semestre na faculdade está ok, sigo mirando o futuro não tão longínquo da formatura com certo receio e ansiedade. Falta um ano ainda. Muito chão pela frente: TCC, prova da Ordem, lágrimas e quem sabe um curso de dicção e oratória. No entanto, minhas notas estão boas, eu consigo responder em sala de aula sem entrar em combustão espontânea, apresento trabalhos sem ficar com o estômago revirando e, pelos meus cálculos, já fiz quase todos os trabalhos previstos pro semestre. Rory Gilmore would be proud.

No mais, está menos. Tive e tenho tido dias em que a única coisa pelo qual almejo é que a noite chegue pra eu voltar pra cama dormir e desligar de tudo. Minha paciência beira o inexistente, nada me surpreende embora muito me desaponte, e eu sinto um total de zero vontade de tentar agradar (as in ser legal) gente que não devolve a reciprocidade  ̶̶̶̶  eu nem sou obrigada, mas às vezes a gente faz um esforço né?, ando bem desinteressada e desmotivada. Sem vontade de ler, de assistir séries, de assistir filmes, de me reunir com os amigos. Parece que eu esboço a realidade que eu tinha e gostava e não consigo, embora eu queira (será que quero?), fazer mais parte daquilo.


É um estado da mente e como as coisas se encontram. Venho dizendo a mim mesma que tá tudo bem, que vai passar, que isso e que aquilo. Só que chega uma hora que até da nossa fé a gente duvida, porque as coisas não passam, os mesmos filmes e argumentos ficam rodando na nossa cabeça e bem... Enche o saco. Seria fácil, sendo sincera, levar as coisas na base do fake it until you make it, mas pra mim só parece um fake it until you fake it some more e é chato. 

Quero me interessar, me motivar, colocar um gás nesse corpo porque o coitado tá precisando. Vou me obrigar a tentar um pouco mais, ao menos por aqui que é algo que eu faço por mim. Posso voltar? Voltei.
© OH SO FANGIRL
Maira Gall