terça-feira, 25 de março de 2014

Shiiiiet - A True Detective Resume

Se você ainda não ouviu falar em True Detective, me diz exatamente em que planeta você anda vivendo?! Isso mesmo, porque a série que virou hype nos EUA, e é estrelada (ou foi?) pelo Woody Harrelson e Matthew McConaughey (SEM GOOGLEAR!) mereceu todo o frisson que causou e caiu na boca do povo com mais facilidade que mono em festa rave (brincadeira).

A série é dividida em flashbacks e flashforwards entre 1995 e 2012 e nos apresenta a vida bagunçada e interessante dos detetives Rush Cohle e Marty Hart, que, depois de um assassinato misterioso, tentam conectar os pontos atrás do responsável pelo crime (ou seriam crimes?).

O seriado é tão bem feito, bem atuado e com uma breathtaking fotografia e trilha sonora que, com apenas oito episódios, foi parar em 5º lugar no ranking do IMDB.

(fanart por albinoalli)

Não vou mentir pra vocês: a série é lenta. Eu dei umas piscadas legais nos primeiros episódios, mas como ela é uma daquelas séries-que-são-na-realidade-filmes-divididos-em-vários-capítulos, ela vai crescendo. 

Em todo episódio vai ter um cliffhanger nada modesto pro episódio seguinte. Os episódios finais é bizarrice atrás de bizarrice. 

E como toda boa série da HBO, tem uma dose nada pequena de sexo, bebedeira e rock n' roll (but not really). 

Sem contar que ela quis polemizar: igreja, traição, pedofilia, incesto, prostituição, assassinatos, drama familair... Ai ai, só uma grande teia no plot do seriado.


Eu não sei como será a segunda temporada. Já se sabe que o McConaughey (que ganhou ainda mais o meu respeito) não vai voltar pra ela. Há boatos que cada temporada vai ter uma história diferente, no mesmo formato, e que as chances de todo o cast mudar são grandes. 

De qualquer forma, só sei que eu serei uma das que estarei acompanhando a segunda temporada, no matter what.

Se vocês ainda não assistiram a série, não percam tempo e comecem a assistir logo. E se quiserem, compartilhem comigo o que vocês acharam dessa produção da HBO. 

Pra finalizar, deixo aqui pra vocês um paródia felina super legal da abertura da série (e eu nem sou uma cat person!):


quarta-feira, 19 de março de 2014

Vida louca

Que a vida é louca, todo mundo já sabe.

Aposto que todo mundo sabe, pelo menos. Vai, pensa aí em todos os momentos sem-noção que você passou nos últimos meses. Eu sei, são vários.

A real é que minha "vida louca" não tem nada a ver com noitadas fora. Ou aventuras por aí. É só porque ela é louca e não faz sentido. Exatamente como eu ou o título enorme daquele filme com a Clarice Falcão.

E por não fazer sentido, aqui peço desculpas antecipadamente porque talvez, e só talvez, eu não apareça aqui mais com taaanta frequência (embora eu duvide que eu abandone o barco já que já tô apegada a ele/a.k.a. blog).

E não é só porque eu estou em um momento de ~mudança~ de rotina e trabalho  ̶  especialmente trabalho, graças a R'hllor   ̶ , mas também porque eu tenho que ir pra aula e passar na biblioteca da universidade recolher uns cinco livros pra conseguir estudar ainda mais nesse semestre. Ou seja, quality time where are u?

me when quality time

Enfim, eu só queria mesmo é dizer que várias portas se fecharam pra mim nesses últimos meses. Algumas, eu fiquei feliz em trancar e jogar a chave fora. Outras não foram com tanta facilidade, mas com certeza estão melhores assim. E por mais clichê que isso soe, quando uma porta se fecha outras duas se abrem... E no momento eu tô me sentindo o Ted e mais mil guarda-chuvas amarelos passeando na rua.

quarta-feira, 12 de março de 2014

MIXTAPE: #6 - Três Dias

Ando numa fase brasileirística e decidi reunir, em parte, numa mixtape os principais responsáveis por isso: Los Hermanos e Marcelo Camelo (na real, Eu Não Faço A Mínima Ideia do Que Eu Tô Fazendo Com A Minha Vida deu o chute inicial mas shhh).

Tô bem consciente do tamanho do hate que Los Hermanos e seus respectivos fãs tem por aí e é óbvio que tenho que fazer jus a isso porque: eu não ligo, é tudo isso mesmo. ♥


01. Três Dias // Marcelo Camelo
02. Casa Pré Fabricada // Los Hermanos
03. Último Romance // Graveola e o Lixo Polifônico
04. Meu Amor É Teu // Marcelo Camelo
05. Conversa de Botas Batidas // Cícero
06. Janta // Marcelo Camelo e Mallu Magalhães
07. De Onde Vem A Calma // Los Hermanos
08. Pois É // Los Hermanos
 09. Primavera // Banda Gentileza
10. Vermelho // Marcelo Camelo
11. Sentimental // Phillip Long
12. Morena // Tiago Iorc
13. O Velho e o Moço // Los Hermanos
14. Azedume (Instrumental) // Fusile

terça-feira, 11 de março de 2014

Girl Power Collab

Hoje decidi divulgar um trabalho que deu gosto de ver, e eu juro pra vocês que não é só porque uma amiga minha contribuiu pra ele, mas porque qualquer projeto que leve o nome "Girl Power" é algo que enche meu coração de amô.

A ideia do projeto é bem simples: 50 personagens femininas desenhadas por 50 ilustradoras. 

Separei algumas das fanarts que gostei/conheço só pra vocês terem uma ideia no nível da coisa, já com o respectivo nome da personagem e os créditos das (pra quem paguei pau) ilustradoras:



Se vocês curtiram e querem acompanhar ou darem uma olhada nas outras ilustrações, aqui tá página e o tumblr do projeto. 

domingo, 9 de março de 2014

How I Met this is not happening

CONTÉM SPOILERS.

Depois de nove temporadas, a gente meio que espera encher o saco de x, y ou z seriado. Quer dizer, a não ser que seja Grey's Anatomy, a gente espera encher o saco. Principalmente daquelas que tenham mais de vinte episódios por temporada.

Não minto que em meados da oitava e nona, eu já estava meio "meh" com How I Met Your Mother. Mas isso passou e passou longe nos últimos episódios dessa temporada final. Tudo o que eu penso agora é o quanto vou sentir saudade desses cinco malucos.

Assisti o episódio 9x19 "Vesuvius" meio lerda e sem achar grandes coisa. Até que depois li os comentários e quase tive um negócio por causa de algumas teorias que eu nem sabia da existência. Então fui atrás pra ver o que o pessoal anda pensando e acabei mais dividida do que quando comecei.

A teoria pesada é: a Mother morre antes de 2030 e é por isso que o Ted decidiu contar toda a história de como eles se conheceram pros filhos deles. Mas pra detalhar o porquê das pessoas estarem achando isso, vamos lá:

PS.: tem uma outra teoria que a Mother se jogou no mundo pra "acabar com a pobreza". Será?

1. Ela não aparece nos flash-forwards
Pro: há diversos flash-forwards dos personagens "velhinhos" e a Mother não apareceu em nenhum.
Contra: não seria chato saber quem é a Mother, mesmo que velha, lá nas primeiras temporadas?!

2. Mais 45 Dias
No vigésimo episódio da oitava temporada (The Time Travelers), o Ted aparece na porta da casa da Mother pedindo 45 extras dias com ela.
"Exactly 45 days from now, you and I are going to meet. We’re going to fall in love and we’re going to get married, and we’re going to have two kids. We’re going to love them and each other so much. All that is 45 days away, but I’m here now, I guess because I want those extra 45 days with you. I want each one of them…I am always going to love you. Until the end of my days and beyond."
Pro: por que ele precisaria de 45 "extra days" se eles fossem passar a eternidade juntos? A não ser que ele queira os extras porque ele teve um prazo pra passar ao lado da Mother...
Contra: vai ver ele só tava realmente apaixonado e quisesse mais 45 dias ao lado da mãe?!

3. Casamento de filha
   (créditos)
No episódio dezenove da nona temporada, depois de brincarem sobre serem um casal de velhos (em 2024), a mãe pergunta, talvez sem pensar, "what mother is gonna miss her daughter's wedding?", o que desencadeia um Ted choroso. O primeiro pensamento foi "vish, morreu a véia (mãe do Ted)". Até que eu percebi, o que foi difícil, que o Ted não é uma daughter. Além do mais, teve um papo muito estranho sobre o quanto a Mother se preocupa com o Ted ser alguém que vive de histórias, onde ela aconselha: "life only moves forward".

4. If You See Her, Say Hello
Ainda falando sobre o S9E19, a música do Bob Dylan If You See Her, Say Hello toca no fundo de uma das cenas. Pode não ser nada, mas a letra da música poderia (ou não) estar jogando indiretas sobre o futuro dos dois.

We had a falling-out, like lovers often will
And to think of how she left that night, it still brings me a chill
And though our separation, it pierced me to the heart
She still lives inside of me, we've never been apart.
...
Sundown, yellow moon, I replay the past
I know every scene by heart, they all went by so fast

Na mesma música, no entanto, tem um verso que nos deixa pensando que talvez ela só se atirou no mundo atrás do que ela queria fazer.

If you get close to her, kiss her once for me
I always have respected her for busting out and gettin' free
Oh, whatever makes her happy, I won't stand in the way
...
I see a lot of people as I make the rounds
And I hear her name here and there as I go from town to town
And I've never gotten used to it, I've just learned to turn it off
Either I'm too sensitive or else I'm gettin' soft.

5. Menções problemáticas vindas do cast
Em 2010, o Jason Segel (Marshall) deu uma entrevista pra GQ onde ele também acreditava na teoria da mãe estar morta. 
You want to know my theory? We're going to find out at some point that the mother's dead. And adult Ted has been telling them all these stories about the mother they never knew. It'll retroactively cast the entire show in this dark-comic light.
[without missing a beat] I suggested that also.
A Cobie Smulders (Robin), em Janeiro desse ano, deu uma entrevista pro IGN, onde ela confessa que começou a chorar assim que soube do final e o quanto o final da série "é verdadeiro a vida":
IGN: You know the whole thing too?
You know what's so funny is, like, a week before Neil did that, I went up to Craig [Thomas] after the table read, and I was like, "What is the deal with this?" He was like, "Well, do you want me to tell you?" I was like, "Yeah! I think I want to know," and he just laid it out. I immediately started weeping and had to leave. Like, I had to leave. I said that, I was like, "Craig, I have to leave right now. Thank you," and I just walked away.
IGN: So suffice to say, you think it's an effective ending?
I do. You know, I feel it's very beautiful and very true to life. That's what I feel about it.
A Alyson Hannigan (Lily), mesmo sendo obviamente choroninha vide as entrevistas com o resto do cast, não teve uma reação muito boa depois de ler o script do último episódio da série. É normal os artistas ficarem emotivos com o final de um trabalho, mas será que a reação não tem a ver com, sei lá..., uma mãe morta? Além dela, o próprio Josh Radnor (Ted) também confessou ter chorado ao ler o script final. E o Neil Patrick Harris (Barney) admitiu ficar "chocado"


E por último, mas muito importante, os criadores da série Carter Bays e Craig Thomas já tinham em mente o final da série há muitos anos. Desde 2006, pelo que mostra essa entrevista, na qual o Thomas afirmou: 
"We have not changed the very end of series at all. In fact, we shot part of it back in 2006, before Ted's kids got much older! We just looked at that footage, which will factor into the end of the series—it totally worked and was kind of haunting to watch! Shot 8 years ago and it will now help end our series on March 31st, 2014!"

Particularmente, eu me recuso a aceitar essa teoria (da Mother morta) porque, mesmo com o alto flerte que HIMYM sempre teve com o drama, não dá pra acreditar que uma série de comédia termine assim.

Por mais que essas teorias sejam super super super fáceis de acreditar e até entender, eu ainda estou me agarrando a uma outra pequena ideia que diz que toda a teoria criada em cima do episódio Vesuvius não é correta, exatamente como não era correta e nem se encaixava a palavra Vesuvius nas palavras cruzadas que o Ted tentou fazer no episódio 9x02 (Coming Back).

Acredito que, pra finalizar, a única coisa que nos resta a fazer agora, então, é com o coração na mão, nos preparar pra dar adeus pra série. 

EXTRAS/FONTES
Mais sites com teorias: It’s Now All But Confirmed That “How I Met Your Mother” Will End The Way You FearedIs the Mother in How I Met Your Mother Dead?THE MOTHER ON 'HOW I MET YOUR MOTHER' MIGHT REALLY BE DEAD & HERE'S WHYPlease Don't Let the Mom Die on How I Met Your Mother , HIMYM Could Still End Up With Ted and Robin Together (essa é diferente, e interessante...) e mais milhares se vocês procurarem no Google.

Mas e aí? O que vocês acham?

(Me perdoem por esse post enorme, eu me deixei levar e quando vi a bagunça tava feita. Foi por uma boa causa.)

quinta-feira, 6 de março de 2014

Pizza time a.k.a. Oscars 2014

Primeiro, começaremos pelo importante: GRAVIDADE NÃO GANHOU O MELHOR FILME E AMERICAN HUSTLE NÃO LEVOU N-A-D-A!!!

Dito isso, podemos seguir, de preferência sem caps, com o resto das considerações fangirlísticas do Oscar 2014.

(pode ser no tipo: duas sentenças máx.? Porque vide meus outros posts minha tendência de perder o rumo são bem conhecidas...)


 Best Picture: 12 Years a Slave. Merecido, nada a colocar. Meu favorito foi Her, mas eu já sabia que não ia levar.
Actor - Leading Role: Matthew McConaughey. Por mais que meu coração tenha se partido um pouco pelo Leonardo DiCaprio, eu não pude não deixar de ficar feliz pelo Matthew, que como eu falei, entregou um baita trabalho.
Actress - Leading Role: Cate Blanchett. Não assisti Blue Jasmine, so...
Actor - Supporting Role: Jared fucking Leto. Já esperava, porque ele com certeza fez o melhor trabalho dentre os indicados.
Actress - Supporting Role: Lupita Nyong'o. Já esperava também, mesmo sem assistir Osage County ou Blue Jasmine. Thank God ela venceu, porque eu não ia aguentar ainda mais posts sobre o quanto a academia é racista (ela é, todo mundo já sabe).
Animated Featured Film/Music Original Song: Frozen. LERIGÔ. Óbvio.
Cinematography/Directing/Film Editing/Music Original Score/Sound Mixing/Sound Editing/Visual Effects: Gravity ou você-seu-filme-overrated-não-levou-o-melhor-filme-bem-feito-hahaha (ainda tentando entender como directing ganhou do Scorsese...).
Costume Design/Production Design: The Great Gatsby ou eu-ainda-preciso-ver-esse-filme-porém-medo.
Writing - Original Screenplay:  Her ♥ 
Writing - Adapted Screenplay: Queria Wolf e foi 12 Years a Slave. :( Algum prêmio pra Wolf gente. 
Makeup and Hairstyling: Dallas Buyers Club. É só assistir a transformação do Jared Leto pra entender o porquê eles levaram...
Short Film Live Action/Short Film Animated/Foreign Language Film/Doctumentary Feature/Doctumentary Short Subject: não há nada a declarar pois não assisti nenhum.

Mas gente, vamos falar do que interessa: essa cerimônia foi uma das minhas favoritas desde que eu faço maratona dos filmes concorrentes (2010? 2011?). Eu quero que alguém dê um Oscar pra Ellen Degeneres porque ela conseguiu descontrair o ambiente sem ofender ninguém, fazendo trocadilhos ótimos e levando pizza pros grandões de Hollywood comerem em pratinho de plástico. Além de um contrato vitalício como apresentadora do Oscar, eu quero ela, Amy Poehler e Tina Fey apresentando qualquer evento grande juntas. Academias, providenciem ao menos isso já que o meu champagne vocês esqueceram no último Domingo.

No entanto, pratinho de plástico, recolher trocado e levar um entregador de pizza (de verdade) pra dentro do mega evento não foi o bastante pra apresentadora, que decidiu quebrar o twitter postando a foto mais divertida da história das selfies. R'hllor bless Ellen Degeneres.


E, vamos ser sinceros, e ainda óbvios: todo mundo tá sempre lindo nesses eventos e não tem nada mais divertido do que avaliar os vestidos das celebridades (yay Lupita Nyong'o, Sandra Bullock, Olivia Wilde, Anna Kendrick) e o cabelo (infinitamente melhor que o meu/nosso) do Jared Leto enquanto a gente veste pijama de bolinha e coque bagunçado na cabeça. Judging judging as it's finest.

Sendo assim e sem saber como finalizar e muito menos o que mais colocar (afinal, o evento foi quatro dias atrás e eu terminei o post *hoje*, super atrás do resto do mundo blogueiro), deixemos aqui o comentário final e definitivo sobre o Oscar 2014: cadê, sérião, o Oscar de Breaking Bad?

quarta-feira, 5 de março de 2014

Seth Cohen, a gente não dá certo

The O.C. foi a primeira série que eu recordo assistir. Eu não assistia em ordem e muita coisa eu não cheguei nem a assistir, mas assisti tanto episódio igual que já sabia como funcionava a série. E já sabia o quanto minha primeira crush-televisiva era ninguém mais ninguém menos que Seth Cohen.

Num dia desses, decidi assistir a série de novo, nessa vez em ordem. Há alguns dias eu terminei a primeira temporada. E terminei com a minha crush ainda mais pesada que na época.

Mas a real é que: eu e Seth Cohen? Jamais aconteceria.


Por quê? Porque eu seria a Anna da vida dele. E ele seria o Seth da minha vida. E não importa o quanto nós fossemos parecidos e gostássemos das mesmas coisas, não haveria nada que fizesse ele negar o inegável e não acabar com a Summer. Afinal, ninguém fica junto porque o outro gosta de Death Cab for Cutie, lê a mesma coisa e tenha a mesma tirada sarcástica diante a vida. Não faz sentido, mas a vida é assim mesmo.

Ainda assim, como toda boa teimosa, apesar de ter plena consciência que não há gostos em comum que superem as preferências do coração, eu ainda insistiria no pensamento de "por que não deu certo? A gente tinha tudo pra dar certo!". Mas, mais uma vez a realidade me jogaria um balde de água fria pra dizer que: não, não daria. E eu, Anna, insistir em tal bobagem não diferiria em nada de bater na mesma tecla esperando resultados diferentes. Se o negócio não é mútuo, não vai pra frente. Não tem jeito.


O que nos resta a fazer, então, no fim do dia, é esperar que alguma equivalente Summer apareça na nossa vida. Porque a gente só se dá conta do que tá errado quando aparece algo certo pra usar como parâmetro (ou então eu trouxe todo um novo significado pro há muito conhecido: "a gente não dá certo").

Deve ser por essas outras que todo mundo tem ou é uma Anna, um Seth ou uma Summer na vida. 

Porque a vida não faz nenhum sentido.

Até que ela faça. 
© OH SO FANGIRL
Maira Gall